O Consórcio Lago Azul, formado pela Celg Geração e Transmissão (Celg GT, com 50,1%) e Furnas (49,9%), arrematou, na manhã de hoje (14/11), o lote do leilão para construir a linha de transmissão de Barro Alto a Itapaci, no Vale do São Patrício. O certame foi realizado na Bovespa, em São Paulo, e integra o Edital de Leilão nº 07/2013 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que visa a contratação de serviço público de transmissão de energia elétrica nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Ceará, Paraná, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Maranhão e Acre.
Nove consórcios estavam habilitados ao lote D, mas somente dois apresentaram propostas: além do Lago Azul, também o São Patrício – este, com valor de R$ 3.060.000,00, enquanto o primeiro com R$ proposta de R$ 3.066.600,00 (o valor máximo da receita anual permitida – RAP – era de R$ 3.066.690,00). Por conta da diferença entre as duas propostas, o leilão continuou no sistema de viva voz, em que o Consórcio Lago Azul sagrou-se vencedor, com proposta de R$ 3.050.000,00 e a desistência de seu concorrente. A Celg GT disputava, ainda, outros três lotes do Edital 07/2013, mas decidiu não apresentar proposta.
A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações. A finalidade do empreendimento é atender o crescimento de carga no Estado e a previsão de entrada em operação comercial é de 30 meses, com expectativa de geração de 116 empregos diretos.
Em julho, a empresa já havia arrematado dois lotes em leilão realizado pela Aneel. O primeiro, com o Consórcio Vale do São Bartolomeu (Fundo de Investimento em Participações Caixa Milão, com 51%, Celg GT, com 10% e Furnas, 39%), com RAP de R$ 27,4 milhões, foi arrematado para construir uma subestação de 500 kV (SE Brasília Leste), 134 km de linha de transmissão em 500 kV, 14 km de linha de transmissão em 34 5kV e 13,5 km de linha de transmissão subterrânea em 230 kV – todas localizadas entre Luziânia e o Distrito Federal. O segundo lote, composto pela Subestação Campo Grande 2, foi arrematado pelo Consórcio Pantanal (CEL Engenharia, com 51%, e Celg GT, 49%), com RAP de 4,2 milhões.
Para o presidente da Celg GT, José Fernando Navarrete Pena, a vitória no leilão é motivo de comemoração. Segundo ele, isso “é resultado da percepção, estratégica, da importância do Estado de Goiás e da região Centro-Oeste para o crescimento econômico do País e para a interligação do sistema nacional de transmissão”.
Fernando Navarrete destaca que a Celg GT iniciou uma etapa de participação ativa nesse contexto, "resgatando a importância histórica da companhia”. Ele adianta que há outros dois grandes investimentos em estudo, um na região da grande Goiânia e outro na região de Niquelândia, no Norte do Estado.

Avenida C, Quadra A-36, Lote 1, nº 60, Jardim Goiás, CEP 74805-070 – Goiânia - Goiás

© 2017 CELG GT - Todos os direitos reservados